Vinhos da Fronteira, descubra Foz como destino para os amantes de vinho

Você gosta de vinhos e já ouviu falar muito sobre os Vinhos da Fronteira? Foz é famoso também por isso. Os amantes de vinhos se espalham por aí e nos recomendam.

Por isso, fizemos até um eBook para você aproveitar nossas dicas sobre os diferentes tipos de vinhos e como escolher o que mais lhe agrada pelos rótulos.

Ele vai lhe ajudar a conhecer os Vinhos da Fronteira e descobrir porquê Foz do Iguaçu é um destino imperdível para os amantes de vinho

A Tríplice Fronteira está entre os 10 lugares turísticos mais procurados do mundo pelos amantes de vinho e a cidade Foz do Iguaçu é uma das que mais hospedam esse público, que só cresce. Quer um dos motivos? Os bons apreciadores querem degustar bons vinhos e ótimas experiências!

Se Foz do Iguaçu é destino imperdível para os amantes de vinho, nós, do Del Rey Quality Hotel, entendedores do que os turistas apreciam, montamos dicas no formato de um eBook para ajudar você e seus acompanhantes nessa aventura.

Quer viver a melhor experiência de hospedagem em Foz e apreciar os vinhos? Então conheça o Del Rey.

Mas, antes, leia o nosso material gratuito sobre vinhos. Lá nós elencamos diversos vinhos que você pode encontrar e querer levar pra casa na sua próxima viagem para Foz, Argentina e Paraguai.

Aproveitamos este artigo para incluir, além das dicas que você poderá encontrar no eBook, também os tipos de vinhos e como conhecê-lo por meio da análise de rótulos.

Incluímos ainda as dicas de 5 regiões mais procuradas pelos amantes de vinhos bons na América Latina. 

Vamos conferir?

Esse texto contém ainda algumas dicas de vinícolas, para que você e sua família, amigos ou parceiro façam novas viagens aproveitando as experiências que o vinho pode trazer.

Talvez você ainda não saiba, mas os amantes de vinho que estão na faixa dos 50 anos já descobriram esse paraíso econômico e gastronômico de Foz.

A cidade já está entre os cinco principais destinos procurados pelos cinquentões! E você pode conferir todas as dicas na recepção do nosso hotel, com o parceiro Loumar Turismo.

Mas vamos voltar a falar sobre porquê Foz do Iguaçu como destino imperdível para os amantes de vinho.

Sabemos que as pessoas realmente espertas buscam o melhor, de preferência, com economia. Seja esperto também e aproveite as dicas de quem já experimentou e aprovou. 

Pelas estatísticas de consumo, dá para constatar que, cada vez mais gente ama e consome vinho. Isso acontece porque ele “casa” bem com massas, petiscos e iguarias das mais diversas. 

As informações relacionadas ao bem estar que ele causa e até benefícios à saúde, quando consumido moderadamente, faz com que cada vez mais gente se interesse e queira entender um pouco mais sobre o vinho e suas diversas qualidades e características.

Isso acontece também devido a alta gastronomia, sendo mais acessada por todos.

Se não somos entendedores como um chef ou um verdadeiros sommelier, pelo menos podemos buscar informações e, assim, saber o suficiente para fazer uma boa escolha, não é mesmo?

Conheça a Terra das Cataratas, que também é a terra dos bons vinhos

Conhecida como a Terra das Cataratas, a cidade de Foz do Iguaçu encanta e agrada diferentes públicos e idades pela alta gastronomia que reúne, regada a diversos tipos de vinhos.

Os vinhos podem ser tintos; rosés ou rosados; brancos; espumantes ou fortificados.

Isso porque, além de Foz comportar diversos atrativos gastronômicos, de compras e passeios naturais, a cidade ainda faz divisa com Puerto Iguazú, na Argentina, com quem divide as magníficas Cataratas do Iguaçu. 

A cidade de Foz faz divisa com a Ciudad del Este, no Paraguai, dividindo a grandiosa Usina Binacional de Itaipu.

Dessa forma, essas três cidades, de países diferentes e vizinhos, formam a Tríplice Fronteira, bastante procuradas para turismo e para compras, no mundo inteiro. 

Temos ainda essa novidade, com a mudança da Lei:

Em Foz, os setores de Gastronomia e Turismo passam a ser consideradas atividades essenciais, assim como Saúde, Segurança e Transporte Coletivo

Isso significa que, em casos futuros de lockdowns, esses serviços, de bares e restaurantes, não devem ser interrompidos, assim como outros atrativos turísticos. Claro que eles vão permanecer abertos com responsabilidade e cuidados com a saúde e segurança.

Entre os principais produtos cobiçados nessa viagem inesquecível está o vinho, especialmente o argentino. 

Pense que, em Foz, existem como principais atrativos a Usina de Itaipu, Salto Monday e compras pela cidade. Mas também mais de 80 etnias gastronômicas, que podem ser apreciadas com uma taça de vinho.

De lá, o viajante pode ir à Puerto Iguazú, que também conta com uma gastronomia encantadora, como o famoso bife de chorizo e maravilhosos vinhos, itens mais procurados na Argentina, principalmente para quem visita pela primeira vez o destino. 

E é disso que queremos falar: de vinhos! Fizemos até um guia para te ajudar nisso.

Foz do Iguaçu é um destino recomendado para todos que amam e querem comprar vinhos de qualidade e a preços baixos, além de perfumes e tantos outros produtos. 

Chamados de “Vinhos da Fronteira”, os Duty Free de Foz reúnem e oferecem vinhos maravilhosos, tanto brasileiros quanto argentinos. 

Ficou interessado? 

Imaginamos que sim! 

Por isso, colocamos tudo que você precisa saber sobre vinhos em Foz do Iguaçu num Guia Completo dos Vinhos da Fronteira.

Falamos de Tríplice Fronteira, de lindas vistas, lugares com diversidade gastronômica e Argentina… tudo isso já inspira uma boa taça de vinho para quem gosta da bebida. Isso acontece com você?

No guia, colocamos as melhores lojas de vinhos na Tríplice Fronteira e algumas dicas para que você leia corretamente os rótulos de vinho, para escolher os melhores, ao se deparar com tantas opções.

E serão muitas!

Leia esse guia antes de chegar em Foz e ao Del Rey Quality Hotel para se hospedar. Aliás, ele fica pertinho da fronteira e do paraíso dos vinhos.

Com a ampla divulgação dos rótulos, marcas e harmonizações de vinho com queijos e receitas diversas pelos chefs nas redes sociais e programas de culinária na TV, o número de pessoas que aprendem a apreciar um bom vinho aumenta cada vez mais. 

Ainda bem! Afinal, coisas boas devem ser também compartilhadas. 

Um bom cálice de vinho – de qualidade! – faz bem para a saúde e isso todos já sabemos.

Apesar de parecer simples, percebemos também que, no momento da escolha, muitas pessoas ainda têm dificuldade em escolher a garrafa para degustar ou levar para a casa. 

Sempre nos perguntam sobre as melhores dicas e a resposta é que os muitos bons rótulos devem agradar o gosto pessoal de cada um.

Diante das diversas opções disponíveis, como podemos diferenciar um produto do outro? Porque sabemos que existem vinhos e uvas de melhor qualidade, certo?

No eBook de vinhos feito pelo Del Rey Quality Hotel, de Foz do Iguaçu, você confere muitas dicas para saber escolher o vinho ideal e diferenciar os vinhos tinto, rosé, branco, espumantes e fortificados.

Vamos para algumas dicas antecipadas:

Vamos começar pelos Vinhos da Fronteira, abordando o básico e tudo o que você precisa saber sobre vinhos em Foz do Iguaçu.

Há muitas lojas e adegas na Tríplice Fronteira – em Foz, no Paraguai e na Argentina – e você pode pegar a listinha delas no seu guia. 

Então, vamos falar sobre a leitura dos rótulos de vinho, começando pela variedade da uva, antecipando o que você irá encontrar, muito melhor organizado no eBook.

A maioria dos rótulos traz o nome da uva utilizada e essa informação indica qual o tipo, sabor e aroma do vinho. 

O rótulo do MalcoVarietal Cabernet Sauvignon 2012, por exemplo, indica que o vinho foi produzido exclusivamente com a Cabernet Sauvignon. A uva tinta é proveniente de Bordeaux, na França. 

Cultivada em diversos lugares do mundo, as maiores regiões produtoras dessa uva são: Bordeaux/França, Califórnia/Estados Unidos, Toscana/Itália, Austrália, Nova Zelândia e Chile, Argentina, Brasil, África do Sul, Espanha e Portugal. Algumas regiões a produzem em menor escala. 

Você percebeu que, nesse caso, não se trata apenas de escolher entre vinho seco, branco, rosé, fortificado, de sobremesa ou espumante?

Se isso já parece difícil, entenda que há muitos outros detalhes que devem ser levados em consideração. na hora dessa difícil escolha. Talvez você possa estudar na prática, saboreando e descobrindo o tipo que mais lhe agrada o paladar.

E porquê não?

Para ajudar nesse entendimento prévio, ler o rótulo das garrafas é fundamental!

Dependendo da regulamentação do governo de cada país, alguns rótulos são mais simples, enquanto outros trazem mais detalhes para o consumidor. 

Nos rótulos, estão contidas todas as informações importantes, como o nome do vinho, o produtor, a variedade da uva ou denominação, safra e região de origem, entre outras informações. Todas elas servirão como guia na hora da escolha. 

Vamos lá para a explicação sobre os tipos de vinho, porque nem tudo é beber!

O vinho possui três formas de ser feito – tradicional, corte de vinho e sangria. 

  • Rosé ou rosado 

Tradicional: as uvas são prensadas inteiras e mantidas por um período de duas a vinte e quatro horas, assim, juntas. Tendo controle de temperatura, por conta da maturação que influencia no gosto e na cor do vinho; 

Corte de vinho: utilizado em algumas localidades e proibido em alguns locais, como por exemplo na França, consiste na mistura do vinho tinto já vinificado com o vinho branco. Para os apreciadores, esse pode não ser o mais saboroso dos vinhos; 

Sangria: consiste em retirar cerca de 10% do mosto depois de ter prensado as uvas e antes da fermentação, esse líquido é chamado de sangria e ele é utilizado para deixar o vinho rosado.

Vale ressaltar que os mais prestigiados rosés são produzidos na França, na região de Provence. O método utilizado é o tradicional. 

Assim como na Itália, em Portugal, e na América do Sul os países que adotam essa mesma técnica são: Argentina e Chile. 

  • Vinho Branco 

Utilizando também uvas tintas, seu método de produção é semelhante ao do vinho tinto. A maior diferença é que as cascas são separadas do mosto, logo após serem prensadas, para que não pegue o gosto ou a cor das cascas. 

As uvas são prensadas de uma forma mais suave para que o suco seja retirado sem esmagar a semente e as cascas, que são mantidos em temperaturas mais baixas para obter o vinho leve e frutado. 

As uvas brancas mais utilizadas são Chardonnay e Sauvignon Blanc, que possuem origem francesa, mas são produzidas em larga escala em diversos países. Os vinhos brancos, que são feitos a partir de uvas brancas, são chamados de Blanc des Blancs. 

  • Vinho espumante

São aqueles vinhos com borbulhas, o mais conhecido é o Champagne, que tem 

esse nome por ser produzido nessa mesma região da França. 

Quando eram expostos a temperaturas mais altas que o comum, algumas garrafas passaram a explodir, então com o passar do tempo alguns vinicultores da região aprenderam a conduzir a fermentação e criaram um que produto novo e que caracterizou a produção da região. 

Os espumantes podem ser tintos, rosés ou brancos, sendo esse último o mais tradicional, com a presença de gás carbônico natural em quantidade perceptível.

Esse tipo de vinho surgiu por acaso, quando o vinho é engarrafado antes de finalizar sua fermentação alcoólica e continuava sendo feita dentro da garrafa, então acabou produzindo gás carbônico e gerou borbulhas dentro da bebida. 

Em 1907, surgiu a necessidade de criar um produto semelhante ao Champagne, mas que tivesse custo baixo, para aumentar a produção, então surgiu o Charmat. Esse método, permitiu que a segunda fermentação fosse realizada em tanques, de forma que não fermentam dentro das garrafas. 

  • Vinho fortificado 

Esse tipo de vinho possui em sua composição a adição de outros alcoólicos, como aguardente vínica ou destilados, tornando o teor alcoólico mais alto que o dos demais. 

Esse processo passou a ser adotado como forma de conservação do vinho, porque antigamente ele era transportado por navios em viagens muito longas. 

Dessa forma, para deter a fermentação da uva e garantir a estabilização da bebida surgiram os vinhos fortificados. 

Isso ocorre porque o álcool da bebida destilada mata as leveduras que são responsáveis pela fermentação, dessa forma, sobra uma grande quantidade de açúcar não fermentado, tornando a bebida mais doce e mais forte. 

Viagem para a Tríplice Fronteira está entre os principais destinos imperdíveis no mundo para os apaixonados por vinhos

Há regiões vinícolas espalhadas pelo mundo, oferecendo suas belas paisagens. Sabemos que, assim como a Europa, África, Estados Unidos ou Austrália, a América Latina também tem seus grandes e acessíveis encantos dessa natureza. Elas não perdem para outros lugares do mundo.

Vamos para 5 exemplos de regiões de vinícolas para se explorar

1- Valle de Guadalupe, México 

A região vinícola do México está em muitas listas de desejos, especialmente para os amantes de vinho. Entre as castas mais plantadas por lá estão o Cabernet Sauvignon, Merlot, Barbera e Zinfandel, além das uvas brancas Colombard e Chardonnay. 

A época apropriada e indicada para visitar o Valle de Guadalupe é entre agosto e setembro, quando ocorre a Fiesta de la Vendiema, com provas de vinhos, danças e música ao vivo.As dicas de vinícolas são: Decantos, Monte Xanic, Viña de Frannes, Casta de Vinos e a Vena Cava.

Vena Cava
Vena Cava
2- Mendoza, Argentina

Mendoza é a mais famosa região vinícola argentina,  paraíso para os amantes de Malbec e Torrontés. São mais de mil quilômetros de estrada com mais de 1.200 bodegas e restaurantes de altíssima qualidade, daqueles para se passar horas saboreando os pratos acompanhados das taças de vinhos locais. 

Uma delas é a vinícola Zuccardi, eleita pela Worlds Best Vineyards a Melhor Vinícola do Mundo pelo segundo ano consecutivo em 2019 e 2020.

Vinicola Sta Julia – Familia Zucardi
Vinicola Sta Julia – Familia Zucardi

 

3- Valle do Colchagua, Chile 

Ao sul de Santiago, está o Valle do Colchagua, uma das mais famosas rotas de vinho no Chile. A região pode ser acessada de carro, com o tradicional Tren del Vino ou então de trem comum – depois, as visitas às vinícolas podem ser feitas de táxi. Nas bodegas, os visitantes podem conhecer os processos de produção e degustar alguns dos mais conhecidos rótulos chilenos.

Entre as vinícolas que podem ser visitadas na região estão a Viu Manent, Viña Montes, Viña Santa Cruz e a Lapostolle. O Valle do Colchagua é uma taça cheia para quem curte Cabernet Sauvignon, Carménère, Syrah e Malbec. 

Viu Manent
Viu Manent
 4-Canelones, Uruguai 

Em Canelones, no sul do Uruguai, se concentram mais de 60% das vinícolas do país. A região é uma das melhores produtoras de tannat do mundo e é onde estão algumas das bodegas uruguaias mais conhecidas, como a Juanicó, Familia Moizo, Artesana, Marichal, De Lucca Wines, Varela Zarranz e Pizzorno. A região está a cerca de 50 km da capital, Montevidéu.

Vinicola Don laurindo
Vinicola Don laurindo
5- Bento Gonçalves, Brasil

No Brasil está Bento Gonçalves, a capital brasileira dos vinhos. Boa parte das vinícolas da região se concentram no Vale dos Vinhedos, um caminho rural repleto de restaurantes e bons lugares para fazer visitas guiadas e degustação de vinhos. Uma dica é a Vinícola Don Laurindo. Lá tem vinho tinto suave ao licoroso, espumantes e safras especiais, como a Singolare, Reserva e D.O.

 

Quer saber muito mais sobre os rótulos e escolher muito melhor os seus próximos vinhos? Então acesse o nosso guia.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

2 Adultos, 0 Crianças
Adultos
Crianças
Guardar Informação
Reserve agora, com o melhor preço garantido